quinta-feira, 30 de junho de 2011

Biblioteca recebe edições em Braille


"O bem estar de todos os membros da sociedade, sem exceções, é o que faz de um país um povo civilizado" (Dorina)

A Biblioteca Pública Municipal de Rio Branco agora dispõe de acervo em Braille. Os livros foram doados pela Fundação Dorina Nowill para Cegos.
A Fundação Dorina tem se dedicado à inclusão social das pessoas com deficiência visual a mais de seis décadas, por meio da produção e distribuição gratuita de livros braille, falados e digitais acessíveis, diretamente para pessoas com deficiência visual e para mais de 1.400 escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil.
Organização sem fins lucrativos e de caráter filantrópico, ao longo dos anos a Fundação Dorina Nowill para Cegos produziu mais de seis mil títulos e dois milhões de volumes impressos em braille. A instituição produziu ainda mais de 1.600 obras em áudio e cerca de outros 900 títulos digitais acessíveis.

Além disto, mais de 17.000 pessoas foram atendidas nos serviços de clínica de visão subnormal, reabilitação e educação especial.
Conheça mais sobre a Fundação no endereço: http://www.fundaçãodorina.org.br/






quinta-feira, 9 de junho de 2011

Oficina de Jogos Teatrais para Contadores de Histórias

De 06 a 10 de junho de 2011, os professores do Centro de Multimeios estarão participando da Oficina de Jogos Teatrais para Contadores de Histórias, ministrada pela Coordenadora do Centro de Multimeios, a atriz e arte-educadora, professora Marília Bomfim Melo Gonçalves.



Com o objetivo de investir cada vez mais na Formação Continuada de seus funcionários, o Multimeios realiza com frequência atividades do gênero onde se pode refletir e avaliar o trabalho realizado junto à comunidade e escolas municipais de Rio Branco.

Acreditando no valor dos jogos teatrais para melhorar a potencialidade no ato de contar histórias, a professora Marília Bomfim selecionou textos e atividades que valorizam o ofício do contador de histórias e as técnicas usadas por atores em sua atuação.
O primeiro dia de Oficina foi no Teatro Plácido de Castro e os demais acontecerão no Centro de Multimeios e conta com a presença também de Agentes de Leitura da Casa de Leitura Chico Mendes.

Pra um é impossível, mas unidos podemos mais...

Parabéns a toda equipe do Centro de Multimeios e demais setores públicos que trabalharam no Parque de Exposições da Expoacre em 2011 ajudando às famílias acreanas atingidas pela enchente do rio acre.

A Prefeitura Municipal de Rio Branco promoveu no dia 07 de junho, um reencontro com todas as instituições e autoridades que estavam diretamente envolvidos com as famílias atingidas pela enchente.

Acompanhe a publicação no site http://www.riobranco.ac.gov.br/v4/sobre o evento:


Angelim entrega certificado de agradecimento por trabalho durante cheia do rio Acre

Ter, 07 de Junho de 2011 19:01

Primeira-Dama do Estado, Marlúcia Cândida, coordenadora do Comitê Acre Solidário, representou o governador Tião Viana

Edmilson Ferreira
Foto: Marcos Vicentti

O prefeito Raimundo Angelim e a Primeira-Dama do Acre, Marlúcia Cândida, entregaram nesta terça-feira, 7, certificados de agradecimento ao trabalho desenvolvido por pessoas e instituições durante o período de cheia do Acre, especialmente quanto ao atendimento às famílias atingidas pela enchente. Em abril passado, o nível do rio Acre se manteve por doze dias acima da cota de transbordamento, o que trouxe inúmeros prejuízos para a cidade. Estiveram presentes o Professor Roger, representante da Câmara de Vereadores de Rio Branco; Antonio Torres, secretário de Desenvolvimento para Segurança Social do Acre; tenente-coronel Danilo Mota, comandante do 4º BIS; coronel Flávio Pires, comandante do Corpo de Bombeiros; coronel Gilvan Vasconcelos, coordenador da Comissão Municipal de Defesa Civil; coronel José Anastácio, comandante da Polícia Militar; coronel João Oliveira, coordenador da Comissão Estadual de Defesa Civil, e Estefânia Pontes, secretária municipal de Cidadania e Assistência Social de Rio Branco, além de várias outras autoridades municipais, estaduais e federais.

A cerimônia foi realizada no Teatro Plácido de Castro com a presença de mais de 400 pessoas, trabalhadores e autoridades ligadas às instituições federais, estaduais e municipais. Todas foram homenageadas em reconhecimento ao trabalho desenvolvido durante alagação. O local tornou-se uma pequena cidade, em que vários serviços públicos foram implantados para garantir segurança, saúde e atividades lúdicas para as crianças, além de cadastramento, abrigo e alimento para animais de estimação. Os moradores temporários estavam assim distribuídos por faixa etária: de 0 a 18 anos perfaziam 56,2% e 43,8% eram compostos de pessoas acima dos 19 anos de idade. Através da doação da sociedade, a Semcas distribuiu 1.000 pacotes de fraldas, 900 latas de leite em pó, e 160 colchões –tudo devidamente cadastrado e com confirmação da necessidade da família.
O prefeito citou o senador Jorge Viana, que preside uma comissão para avaliar o sistema nacional de defesa civil. Para Angelim, a experiência do Acre em muito servirá ao País e ele aproveitou para reafirmar os agradecimentos: “eu queria ser grato aqui aos nossos colaboradores anônimos de todas as Secretarias da Prefeitura e do Governo. Muitos estavam cuidando de outras famílias enquanto as suas próprias casas estavam alagadas”, disse o prefeito, referindo-se especialmente aos trabalhadores da Semsur, Emurb e Corpo de Bombeiros que faziam a remoção dos móveis das casas atingidas pela água.

Ministro ficou impressionado com organização no atendimento no parque

A gravidade da cheia do rio Acre trouxe ao Estado o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, que visitou o parque de exposições da Expoacre. O que o impressionou, segundo ele mesmo, foi a organização do trabalho desenvolvido pela Prefeitura de Rio Branco e o Governo do Estado na atenção às famílias alojadas naquele parque.

A organização no atendimento começou muito antes da enchente. O prefeito Raimundo Angelim editou no começo do ano o Plano de Contigenciamento Contra Enchentes preparando toda a máquina municipal para uma mobilização emergencial. A Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social (Semcas), por exemplo, manteve toda sua estrutura prestando apoio ao parque –e com inovações como criação da Central de Dados, setor responsável pela produção de relatórios detalhados acerca das famílias abrigadas na Expoacre. Apenas para citar um avanço, os relatórios permitiram conhecer a situação das crianças que ficaram fora da escola por causa da enchente e a consequente elaboração de documentos para reforço pedagógico, assim como o conhecimento do nível de renda dos desalojados.


Planejamento estratégico de Rio Branco é referência nacional

O Plano de Contingência de Enchentes é um conjunto de ações integradas entre órgãos municipais e estaduais para reduzir os impactos de desastres naturais causados pela cheia do rio Acre e seus afluentes nas áreas rural e urbana da capital. O protocolo acreano para enfrentamento às enchentes são referência para a Defesa Civil Nacional. Vários Estados convidam os oficiais acreanos para palestra sobre os procedimentos adotados em Rio Branco.

O planejamento, conforme lembrou o major George Santos, da Defesa Civil, é criterioso e trabalhou também a questão do pós-enchente: o retorno das famílias às suas residências precedeu de uma grande operação de limpeza e higienização dos imóveis. Para expressar o grande envolvimento de pessoas e instituições na prestação de serviços à comunidade afligida, o major George usou a seguinte expressão: “Nenhum de nós é tão forte quanto nós todos juntos”.


Angelim instalou Gabinete do Prefeito na Expoacre

Angelim manteve no parque de exposições da Expoacre o Gabinete do Prefeito durante toda a duração da enchente. A medida foi tomada para para garantir com que todo o esforço das instituições beneficiasse as famílias cujas residências foram alagadas pelo transbordamento do rio Acre e seus afluentes.

A última enchente foi a maior nos dois últimos anos e nunca havia ocorrido um repiquete no mês de abril apesar das maiores cheias terem sido freqüentes neste período do ano. E por causa da repetição de fenômenos que antes não eram vistos no planeta Terra, o prefeito alertou quanto à possibilidade de a estiagem reduzir ainda mais o nível do rio Acre, comprometendo o abastecimento de água na capital. O rio, lembrou ele, desce vinte centímetros ao dia e medidas já foram adotadas pelo Saerb para que não falte água potável na capital.


Marlúcia: “soubemos superar o desafio”


A Primeira-Dama é também presidente do Comitê Acre Solidário, que no começo do ano enviou 18.000 fardos de água mineral às vítimas dos deslizamentos no Estado do Rio de Janeiro, e durante o último mês de abril recolheu alimentos, colchões e roupas para atender as famílias atingidas pela cheia do rio Acre. Dona Marlúcia representou o governador Tião Viana na cerimônia. “Sem o trabalho de vocês o Governo e a Prefeitura não teriam sucesso”, disse ela, agradecendo aos trabalhadores, técnicos, gestores e voluntários que estiveram à frente do serviço de atendimento às famílias.

“Quero realmente agradecer muito aos que contribuíram com o chamado do Acre Solidário”, completou, fazendo referência ao trabalho desenvolvido por todos durante o período que considerou como “uma fase muito difícil mas que soubemos superar o desafio”.

NÚMEROS DA CHEIA DO RIO ACRE EM 2011


658 famílias desabrigadas

370 famílias desalojadas

7,5 mil famílias atingidas em 16 bairros

500 Pessoas trabalharam diretamente no atendimento às famílias vítimas da enchente

4.850 Procedimentos em saúde foram realizados no posto médico da Expoacre