quinta-feira, 23 de abril de 2009

Música Medieval e Renascentista na escola!

O Grupo SUBTILIOR- Grupo de Música Medieval e Renascentista realizou cinco apresentações em escolas da Rede Pública Municipal.

Esse projeto foi aprovado pelo Fundo Municipal de Cultura e contou com o apoio da SEME/Multimeios.

O grupo é formado por Douglas Marques (diretor e músico), Afonso Éder (Tenor), Maurênio Bonfim (Tenor e Flautista) e Renan Pereira (Barítono e Derbakista).

A experiência foi maravilhosa! Estamos torcendo para que mais projetos como esses sejam aprovados e cheguem de presente para todos os nossos alunos.

Em nome da SEME, agradecemos à Douglas Marques e seu grupo Subtilior. Nosso muito obrigado também ao Sistema Municipal de Cultura, que já se tornou uma realidade em nossa cidade.

Um pouco sobre o Grupo:

O Ensemble Subtilior se propõe a resgatar um estilo pouco difundido nos
meios de comunicação, mas que encerram um conteúdo de riqueza incontestável.
Trata-se de música medieval e renascentista com obras produzidas no mundo ocidental nos séculos XI ao XVII.
O grupo utiliza instrumentos musicais autênticos compondo-se de percussão, flauta doce, alaúde e canto.
Os concertos do grupo trazem ao público composições de extrema delicadeza e refinamento musical.
Muitas vezes, ao se refletir no legado musical que estamos deixando para a juventude, não raro concluímos que o conteúdo estético e sócio cultural tende a se mostrar empobrecido. Assim sendo, os concertos buscam um resgate das verdadeiras proporções do ser humano, sem recursos eletrônicos e fortes apelos ao “grandioso”.
Será que precisamos de sons cada vez mais estridentes e televisões cada vez maiores?
Nossa percepção dos conceitos musicais ficou seriamente debilitada ao longo das ultimas décadas da história universal. É em vista disso que buscamos propor esta apresentação, convidando o público a se interessar pelo delicado, pelo belo e pelo ser humano em sua essência.
Repertório:
1-Ut que ant laxis (Guido Dàrezzo séc. XI)
2-Splendens Ceptigera (Livro vermelho de Monserat séc. XIV, Espanha)
3-Une foys avant (Buxheimer séc. XV)
4- A la Villa Voy (cancionero D`Elvas séc.XV/ XVI)
5- Que he o que vejo (cancionero D`Elvas séc.XV/ XVI)
6- Ostinato Vo`Seguire (Bartolomeo Trombontino Séc. XVI)
7-Que sentis coraçon mio (cancionero D`Elvas séc.XV/ XVI)
8-Lamento di Tristano (Anônimo séc. XIV)
9- Já não podeis ser contentes (cancionero D`Elvas séc.XV/ XVI)
10- Estampie (França séc XIV)
11- Cantiga de loor (Afonso X, o sábio séc XIII)

Douglas Marques.

sábado, 18 de abril de 2009

Semana de Comemoração ao Dia do Livro

Brincadeiras, brinquedos cantados, contação de histórias, personagens de Monteiro Lobato músicas infantis e clássicas na Biblioteca Púbica Estadual encerraram neste dia 18/04 a Programação da Semana do Livro Infantil.

As atividades foram realizadas pela Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil em parceria com o Serviço Social do Comércio (SESC), a Fundação Elias Mansour e Secretaria Municipal de Educação através do Centro de Multimeios. Confira as fotos:






quinta-feira, 16 de abril de 2009

18 de Abril - Dia Nacional do Livro Infantil



Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim, sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça
na imaginação!
(Clarice Pacheco)

Em homenagem ao nascimento de José Bento Monteiro Lobato, no dia 18 de abril comemoramos o Dia Nacional do Livro Infantil.

O Dia Nacional do Livro Infantil foi escolhido pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, em 2002, em homenagem ao escritor brasileiro José Bento Monteiro Lobato. Monteiro Lobato nasceu em 18 de abril de 1882 e foi o criador da literatura infantil no Brasil. Autor de inesquecíveis histórias infantis, entre elas O Sítio do Pica-pau Amarelo, cujos personagens Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Pedrinho, Narizinho e Emília, marcaram a história da literatura infantil.

O livro faz toda a diferença na formação de uma criança. Embora estejamos na era da informática, as histórias infantis fazem a criançada viajar num mundo de fantásticas aventuras e encantam todas as idades.

Ler é essencial. Através da leitura, testamos os nossos próprios valores e experiências com as dos outros. No final de cada livro ficamos enriquecidos com novas experiências, novas ideias, novas pessoas. Eventualmente, ficaremos a conhecer melhor o mundo e um pouco melhor de nós próprios.

Ler é estimulante. Tal como as pessoas, os livros podem ser intrigantes, melancólicos, assustadores, e por vezes, complicados. Os livros partilham sentimentos e pensamentos, feitios e interesses. Os livros colocam-nos em outros tempos, outros lugares, outras culturas. Os livros colocam-nos em situações e dilemas que nós nunca poderíamos imaginar que encontrássemos. Os livros ajudam-nos a sonhar, fazem-nos pensar.

Nada desenvolve mais a capacidade verbal que a leitura de livros. Na escola aprendemos gramática e vocabulário. Contudo, essa aprendizagem nada é comparada com o que se pode absorver de forma natural e sem custo através da leitura regular de livros.

Alguns livros são simplesmente melhores que outros. Alguns autores vêem com mais profundidade o interior de personagens estranhas, e descrevem o que eles vêem e sentem de uma forma mais real e efetiva. As suas obras podem exigir mais dos leitores: consciência das coisas implicadas em vez de meramente descritas, sensibilidade às nuances da linguagem, paciência com situações ambíguas e personagens complicadas, vontade de pensar mais profundamente sobre determinados assuntos. Mas esse esforço vale a pena, pois estes autores podem proporcionar-nos aventuras que ficam na nossa memória para toda a vida.

http://citador.weblog.com

Dia da Amazônia

Prefeitura de Rio Branco realizou uma linda programação para marcar o Dia da Amazônia em nossa cidade. As atividades culturais e de educaçã...